Viagem à Itaipí

10402850_403959949745805_8654534693374821051_n (2)

No dia 12 de junho de 2014, os estudantes do curso de eletroeletrônica juntamente com os acadêmicos de física-licenciatura, saíram em viagem técnica para a cidade de Foz do Iguaçu, acompanhados pelo professor Roberto Soldi. Confira mais detalhes da viagem.

Foi realizada visitação técnica na usina hidrelétrica de Itaipu, no grande complexo de Itaipu Binacional. Foi realizada visitação dentro do terreno da usina e foi visualizada a queda d’água pelo maior dos três vertedouros composto por seis enormes comportas, uma visão magnifica como afirmou o acadêmico Peterson Dirksen ao relatar a viagem. Os acadêmicos tiveram acesso à vários pontos de observação diferentes nos arredores da incrível construção sendo um deles o ponto de altura máxima da barragem, que fica à 225 metros acima do nível do mar, de onde foi possível visualiza a extensão de água que compõe toda a área alagada para suprir a necessidade hidráulica da usina. Além da visualização da barragem, vertedouro e reservatório, os estudantes foram encaminhados para dentro da barragem, onde ainda antes de entrar puderam ver e sentir os condutos forçados que possuem 10 metros de diâmetro cada, seguindo então para a área interna da barragem principal, onde a guia da visita explicou sobre os diferentes tipos de barragens que montam o complexo, quais as diferenças e onde estão localizadas, ouviram mais sobre a história da construção e o funcionamento da usina, e adentraram cada vez mais na barragem, podendo visualizar como funciona aquele tipo de barragem, a de gravidade.

Saindo da barragem foram direcionados a casa de energia onde puderam ver as salas de controle de níveis do reservatório e seus afluentes, tão bem como o da jusante, além de outras telas que demonstraram a quantidade de energia elétrica obtida e outros dados e também a famosa divisa geográfica entre Brasil e Paraguai dentro da usina. No interior da casa de energia foi possível ver ouvir um pouco mais da história e também sobre como é composta a unidade geradora, além de alguns níveis mais abaixo visualizar o eixo da turbina girando a uma velocidade incrível. O grupo também visitou as Cataratas do Iguaçu. O acadêmico Peterson relatou que:

“As quedas encontravam-se muito cheias devidas as chuvas em dias anteriores, foi uma experiência deveras impressionante para todos, não houve quem ficasse totalmente seco com toda aquela umidade que ali havia.”

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.